segunda-feira, 9 de maio de 2011

Primeira Plateia (30)


Sou do tempo em que o cinema italiano fazia parte natural da cultura cinéfila dos amantes de bom cinema. Foi uma geração de luxo que desapareceu, e  que acompanhou o desaparecimento das salas de cinema da exibição do cinema europeu, submerso pelo poder da industria americana. Amacord de Fellini é hoje quase um dinossauro desses tempos, um filme inesquecível,  a rever nesta época de generalizada descrença.

4 comentários:

  1. Ah, pois... que recordações... Fellini, Antonioni, Passolini, Visconti, De Sica

    Que época tão rica

    ResponderEliminar
  2. Eu gosto muito do cinema transalpino, porém Fellini nunca me gerou grandes empatias...
    Visconti, sim, por exemplo. E veja como em Arte não me deixo contagiar por outras axiologias.

    Beijinho, Querida Ariel

    ResponderEliminar
  3. E Berlolucci, Rogério, Bertolucci....

    ResponderEliminar
  4. Visconti é um aristocrata, Querido Paulo, à esquerda mas um aristocrata, todos os filmes são clássicos. Já Fellini é um pouco mais datado...

    Beijinho

    ResponderEliminar