sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Diz quem sabe



José Pacheco Pereira afirmou na Quadratura do Circulo que os "credores estão representados ao mais alto nível pelo primeiro-ministro". Pela sua  notoriedade e responsabilidades, esta afirmação  de JPP deveria ser o rastilho de um levantamento popular. No final de Janeiro logo veremos.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O rancor do humanoide



Não vi a entrevista de Passos Coelho. Ouvi posteriormente este excelente debate, retirando do "excelente" a presença de José Gomes Ferreira, essa cabeça de pepino igual à do primeiro-ministro a quem faz os fretes, desde que não estejam em causa os seus interesses, que ali esteve para cumprir a quota do governo no painel de convidados.
Deste resumo,  repesquei a seguinte oração: "ò Srª Drª, a senhora quer sol da eira e chuva no nabal", quando questionado sobre os custos do ajustamento no desemprego.  Preparemo-nos pois para ou corrermos com esta gente ou sermos submetidos à escravidão.

O cidadão honorário, o autarca e os sulistas...



"A mim e ao Jorge quiseram-nos atacar lá do sul, arranjando-nos problemas, inclusive com os tribunais. Mas nós resistimos de forma solidária, e se a nossa amizade era grande, ficou ainda maior».


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Sementes do diabo


A história repete-se, a primeira vez como tragédia, a segunda como farsa? assim parece, a seguir vêm as condenações inflamadas patati, patatá, mas o que é certo que que eles aí andam cantando e rindo...,o outro louco varrido também  não obteve a maioria sozinho, mas o que não faltam por aí são von Papens desejosos de ser úteis.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

A Infâmia




    Abel Baptista (Viana do Castelo, CDS-PP), Adão Silva(Bragança, PSD), Adolfo Mesquita Nunes (Lisboa, CDS-PP), Adriano Rafael Moreira (Porto, PSD), Afonso Oliveira (Porto, PSD), Altino Bessa (Braga, CDS-PP),Amadeu Soares Albergaria (Aveiro, PSD), Ana Oliveira(Coimbra, PSD), Ana Sofia Bettencourt (Lisboa, PSD),Andreia Neto (Porto, PSD), Ângela Guerra (Guarda, PSD), António Leitão Amaro (Lisboa, PSD), António Prôa (Lisboa, PSD), António Rodrigues (Lisboa, PSD),Arménio Santos (Viseu, PSD), Artur Rêgo (Faro, CDS-PP), Assunção Esteves (Lisboa, PSD), Bruno Coimbra(Aveiro, PSD), Bruno Vitorino (Setúbal, PSD), Carina Oliveira (Santarém, PSD),Carla Rodrigues (Aveiro, PSD), Carlos Abreu Amorim (Viana do Castelo, PSD),Carlos Alberto Gonçalves (Europa, PSD), Carlos Costa Neves (Castelo Branco, PSD), Carlos Páscoa Gonçalves (Fora da Europa, PSD), Carlos Peixoto (Guarda, PSD), Carlos Santos Silva (Lisboa, PSD), Carlos São Martinho (Castelo Branco, PSD), Clara Marques Mendes (Braga, PSD), Cláudia Monteiro de Aguiar (Madeira, PSD), Conceição Bessa Ruão (Porto, PSD), Correia de Jesus (Madeira, PSD),Couto dos Santos (Aveiro, PSD), Cristóvão Crespo (Portalegre, PSD), Cristóvão Norte (Faro, PSD), Cristóvão Simão Ribeiro (Porto, PSD), Duarte Marques(Santarém, PSD), Duarte Pacheco (Lisboa, PSD), Eduardo Teixeira (Viana do Castelo, PSD), Elsa Cordeiro (Faro, PSD), Emídio Guerreiro (Braga, PSD), Emília Santos (Porto, PSD), Fernando Marques (Leiria, PSD), Fernando Negrão (Braga, PSD), Fernando Virgílio Macedo (Porto, PSD), Francisca Almeida (Braga, PSD),Graça Mota (Braga, PSD), Guilherme Silva (Madeira, PSD), Hélder Amaral (Viseu, CDS-PP), Hélder Sousa Silva (Lisboa, PSD), Hugo Lopes Soares (Braga, PSD),Hugo Velosa (Madeira, PSD), Inês Teotónio Pereira (Lisboa, CDS-PP), Isabel Galriça Neto (Lisboa, CDS-PP), Isilda Aguincha (Santarém, PSD), Joana Barata Lopes (Lisboa, PSD), João Figueiredo (Viseu, PSD), João Gonçalves Pereira(Lisboa, CDS-PP), João Lobo (Braga, PSD), João Paulo Viegas (Setúbal, CDS-PP),João Pinho de Almeida (Porto, CDS-PP), João Prata (Guarda, PSD), João Rebelo(Lisboa, CDS-PP), João Serpa Oliva (Coimbra, CDS-PP), Joaquim Ponte (Açores, PSD), Jorge Paulo Oliveira (Braga, PSD), José de Matos Correia (Lisboa, PSD),José de Matos Rosa (Lisboa, PSD), José Lino Ramos (Lisboa, CDS-PP), José Manuel Canavarro (Coimbra, PSD), José Ribeiro e Castro (Porto, CDS-PP), Laura Esperança (Leiria, PSD), Lídia Bulcão (Açores, PSD), Luís Campos Ferreira (Porto, PSD), Luís Leite Ramos (Vila Real, PSD), Luís Menezes (Porto, PSD), Luís Montenegro (Aveiro, PSD), Luís Pedro Pimentel (Vila Real, PSD), Luís Vales (Porto, PSD), Manuel Isaac (Leiria, CDS-PP), Margarida Almeida (Porto, PSD), Margarida Neto (Santarém, CDS-PP), Maria Conceição Pereira (Leiria, PSD), Maria da Conceição Caldeira (Lisboa, PSD), Maria das Mercês Borges (Setúbal, PSD), Maria João Ávila (Fora da Europa, PSD), Maria José Castelo Branco (Porto, PSD), Maria José Moreno (Bragança, PSD), Maria Manuela Tender (Vila Real, PSD), Maria Paula Cardoso (Aveiro, PSD), Mário Magalhães (Porto, PSD), Mário Simões (Beja, PSD),Maurício Marques (Coimbra, PSD), Mendes Bota (Faro, PSD), Michael Seufert(Porto, CDS-PP), Miguel Frasquilho (Porto, PSD), Miguel Santos (Porto, PSD),Mónica Ferro (Lisboa, PSD), Mota Amaral (Açores, PSD), Nilza de Sena (Coimbra, PSD), Nuno Encarnação (Coimbra, PSD), Nuno Filipe Matias (Setúbal, PSD), Nuno Magalhães (Setúbal, CDS-PP), Nuno Reis (Braga, PSD), Nuno Serra (Santarém, PSD), Odete Silva (Lisboa, PSD), Paulo Batista Santos (Leiria, PSD), Paulo Cavaleiro (Aveiro, PSD), Paulo Mota Pinto (Lisboa, PSD), Paulo Rios de Oliveira(Porto, PSD), Paulo Simões Ribeiro (Setúbal, PSD), Pedro Alves (Viseu, PSD),Pedro do ó Ramos (Setúbal, PSD), Pedro Lynce (Évora, PSD), Pedro Pimpão(Leiria, PSD), Pedro Pinto (Lisboa, PSD), Pedro Roque (Faro, PSD), Raúl de Almeida (Aveiro, CDS-PP), Ricardo Baptista Leite (Lisboa, PSD), Rosa Arezes(Viana do Castelo, PSD), Rui Barreto (Madeira, CDS-PP)Sérgio Azevedo (Lisboa, PSD), Telmo Correia (Braga, CDS-PP), Teresa Anjinho (Aveiro, CDS-PP), Teresa Caeiro (Lisboa, CDS-PP), Teresa Costa Santos (Viseu, PSD), Teresa Leal Coelho(Porto, PSD), Ulisses Pereira (Aveiro, PSD), Valter Ribeiro (Leiria, PSD), Vasco Cunha (Santarém, PSD) e Vera Rodrigues (Porto, CDS-PP).

Foi hoje aprovado o OE da vergonha, da capitulação e da desgraça do país. Não nos esqueceremos dos responsáveis por esta traição.

(listagem e foto retirada do Crónicas do Rochedo)

Jovens que já nasceram velhos



A JSD  defende uma limitação da atribuição das pensões de sobrevivência (ou de viuvez), no pressuposto de que rendimentos do trabalho mensais  de dois mil euros são um regabofe. Não é de estranhar, depois de Passos Coelho ter dito na Madeira, com desfaçatez larvar, que quem critica são os que mais têm, a jota é a lebre que prepara o terreno para as medidas  que vão destruir o que resta da classe média.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Dá-lhes música...



"muita gente supôs que se podia viver de forma contínua acima das suas possibilidades e construíram-se muitas infraestruturas que se calhar não eram muito necessárias", - Pedro Passos Coelho,  discursava na Madeira ao lado de Alberto João Jardim e apontava para  o mau aproveitamento dos fundos comunitários...


domingo, 25 de novembro de 2012

Ai aguenta, aguenta!



"Na zona de Cascais, um técnico de gás, estacionando a carrinha de serviço num bairro de classe média-alta, confidencia que passa os dias a fazer cortes. Nunca se viu nada assim. Recebemos listas cada vez maiores de serviços", diz. As religações, contudo, são cada vez menos. "Não sei como fazem. Talvez passem a usar tudo eléctrico....Mas fica ainda mais caro, não? O técnico não põe sequer a hipótese de que alguém, naquele bairro fino, tenha passado a viver sem gás. Ou luz. Ou água."

Revista Visão, reportagem "Sem água, sem luz, sem gás"

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Virtualidades de um bola de ténis

É fácil, barato e não custa tentar. Segundo o folheto,"devido ao stress repetitivo os músculos podem ficar inflamados. Depois de aparecer uma inflamação começa a formar-se um tecido de cicatrização nos tecidos moles entre as camadas dos músculos. Quando se forma este tecido de cicatrização pode acontecer que a circulação de sangue nos vasos e nervos fique presa. Nessa altura cada movimento do corpo pode provocar desconforto e/ou dor. A bola de ténis vai ser usada para quebrar lentamente esse tecido formado e liberta os tecidos moles para reabsorverem o restante tecido cicatrizado que está a prender o vasos sanguíneos e os nervos.
Use a bola de ténis para produzir pressão aplicando directamente nos locais dolorosos. NÃO ROLE A BOLA sobre a pele.  Faça pressão com a bola durante 15 segundo na área afectada. Depois mova a bola aproximadamente 2 cm e use novamente o corpo para fazer pressão 15 segundos. Use este método à volta da área da dor, tendo o cuidado de não posicionar a bola directamente nos ossos, pois pode causar dor desnecessária. Aplique a bola de ténis apenas nos músculos." 

Como diria o velho  Pessa, e esta hein? As melhoras!

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Ditosa pátria que tal filho tem...



"ao Sócrates dáva-lhe um foguete" . Ah valente! Vocês digam-me lá se esta obsessão com o Sócrates  não têm um "je ne sais quoi" de freudiano...


quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Rascas



"Empréstimo de  1100 milhões garante votos do PSD Madeira no Orçamento de Estado." Que me lembre, a venda de votos para viabilizar o OE começou com o Orçamento Limiano. Estavamos em tempos de vacas gordas. Nos tempos que correm e tendo em conta o histórico das contas da ilha, este negócio é insuportável e só nos pode dar vontade de vomitar.

Pequenos luxos



Meus amigos, antes que o Gaspar me  deixe completamente toikada e à beira de um ataque de nervos na hora de conferir o recibo do salário do próximo mês de Janeiro, resolvi oferecer-me um novo portátil, que o anterior morreu de velho. Como este já vem com a nova versão Windows 8, é todo um programa de descoberta que se abre perante os meus olhos.  Andava já há algum tempo a namorar  um iPad,  até que o velhinho portátil deu o berro e aí adeus iPad. Como bem explicou a tia Jonet, não há dinheiro e havia que escolher entre um ou outro. Felizmente que esta nova versão do Windows com uma apresentação e funcionalidades muito semelhante aos tablets, compensa-me da frustração de não poder aceder aos dois.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Assim falou a toika...



"O programa está no caminho certo, apesar de ventos contrários mais fortes", tais como o aumento do desemprego, a perda de receita como factores que estão a minar a confiança, e as exportações que eram a "joia da coroa" da argumentação do "bom aluno", estão a ser pressionadas pela recessão na zona euro.

Portanto, tudo está bem e não poderia ser doutra maneira, morremos devagarinho, silenciosamente para não perturbar os senhores.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Tornados leva-os o vento...



Como continuo com o portátil feito num oito e dependente da boa vontade de terceiros para aceder à net, só hoje encontrei a "explicação" do Gabinte do Primeiro Ministro sobre as bizarras declarações de Cadis para com o Ministro Miguel Macedo relativas ao tornado no Algarve. A gente lê e não acredita, mas pelo menos fica com a certeza de que os fãs do teatro de  Revista não têm a lamentar a existência de uma vocação falhada na carreira artistica  ,pese embora a triste figura que não se cansa de prodigalizar. Já quanto à comprovação de dotes de Estadista exuberantemente dados por inexistentes,   resta-me a penitência severa que hoje carrego pelas chitabatas, que por bem menos, desferi contra o bem humorado Santana Lopes.

Cenas da Maria Cachucha



O partido do contribuinte na rampa de lançamento para o partido do táxi. Depois queixem-se à troika...

domingo, 18 de novembro de 2012

Na ocidental praia lusitana...



"Angela Merkel veio a Lisboa para poder dizer em Berlim que esteve cá. E para que os alemães tomem em consideração, nas eleições do próximo ano, que foi firme, como a maioria deles espera, com os relapsos portugueses: austeridade é para amargar até ao fim, sem renegociação alguma do memorando da troika. Nisto se resume a visita da chanceler à luz dos discursos produzidos e dos resultados conhecidos. A menos que tenham sido diferentes as conversas privadas, o próprio Passos Coelho dispensaria bem este apoio embaraçoso. (...) No dia seguinte, a vida correu como antes: os juros a subirem, assim como o risco de bancarrota, o desemprego a crescer e as previsões do Banco de Portugal anunciando um buraco negro para 2013."

Fernando Madrinha, no Expresso

"Os nossos melhores empresários e banqueiros prometeram que tudo ia correr bem. Tudo está bem quando acaba bem e não se ia agora dizer a verdade à chanceler, que nos veio visitar com as jóias postas, como a rainha Vitória visitava os pobres. (...) Nada de dizer à chanceler que o país está a empobrecer a um ritmo superior ao grego e que não haverá probabilidade de levantar a economia enquanto a austeridade a massacrar. (...) Um país acaba por perder a inteligência colectiva com espectáculos destes. Quando a elite se comporta como a criadagem de antigamente (aquela gente "que sabia o seu lugar", na gíria do tempo) e a criadagem, ou seja, o povo, se comporta com mais dignidade do que a elite, estamos esclarecidos. (...) Nunca ouvi Merkel ralhar com os irlandeses, os italianos ou os espanhóis, em público. Aquele discurso não seria tolerado em Atenas ou Madrid. Aqui é aplaudido. O nosso desejo de agradar, de servir, perde-nos. E faz-nos perder o respeito por nós próprios".

Clara Ferreira Alves, "O país da Caldas", Revista do Expresso

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

É o Ocidente que está em decadência




"Durante 50 anos a Alemanha beneficiou do apoio dos paises de NATO que mantiveram o  "muro" e permitram à Alemanha crescer sem despesas militares, por isso é bom que a Alemanha não se esqueça qie tem um compromisso com o projecto europeu"

"O ocidente ainda não se convenceu que não são alguns países que estão em decadência, "é o ocidente que está em decadência".

Hoje na Europa do Sul



segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Desligada da máquina



Tivesse eu seguido os conselhos de madame Jonet e já teria amealhado o suficiente para substituir o meu velhinho portátil que há muito vinha ameaçando e acaba de estoirar. Sim, não andasse eu a espatifar dinheiro em longos períodos de quinze dias férias em paraísos exóticos como a Costa Vicentina todos os verões, ficasse sentadinha em frente ao televisor em vez de andar a derreter dinheiro em  cinema, concertos de jazz,  no regabofe que é a Festa da Música, todos os anos, imaginem a loucura, já para não falar no dinheirão em cereais ao pequeno almoço, sim porque no tempo de madame Jonet quem é que comia cereais ao pequeno almoço? uma torradita e já era um luxo, que a electricidade sempre foi cara, era o papo seco com margarina e copo de leite com Mokambo, que o Nescafé era só para gente fina. E os banhos? ela só falou na escovagem dos dentes com água a correr esqueceu-se desta mania do banho diário que se entranhou nesta gentinha trazido pelos retornados das áfricas que tinham o hábito de tomar dois e três banhos por dia. E os yogurtes? agora toda gente mama yogurtes, que são para cima dum dinheirão. E a moda das saladas? Dantes não havia esta paranoia e não consta que se fosse menos feliz por isso.
De modo que meus amigos, o blogue é capaz de andar um bocado aos trambolhões nos próximos dias, dependente que fico da boa vontade de terceiros para o actualizar. Entretanto quando me cruzar com madame Jonet que por acaso é minha vizinha em Oeiras, não deixarei de lhe agradecer a lição que me deu.

sábado, 10 de novembro de 2012

Álvaro Cunhal




Arrancaram as comemorações do Centenário de Álvaro Cunhal, que completaria hoje 99 anos. A falta que nos faz e sua cultura, sabedoria, qualidades políticas  de excepção e patriotismo  nesta hora tormentosa de Portugal e dos portugueses.



Porque hoje é sábado



O genial George Gershwin, a voz fabulosa de Amy Winehouse, as imagens únicas de Marilyn.

Bom fim de semana.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Nas mãos dos tabilans



O Teatro da Cornucópia que faz no próximo anos 40 anos de existência,  pode ter os seus dias contados.

"A não abertura de concursos de concursos pode levar ao fim da Cornucópia. Previstos para Setembro, e depois atrasados para Novembro, os concursos, que contemplariam 75% da actividade teatral e coreográfica continuam sem uma data e a DGA tem remetido responsabilidades para o Ministério das Finanças que impede a contratualização de novas despesas."

"Não reconheço nele [Barreto Xavier SEC], nem o golpe de asa, nem a ousadia, de estabelecer nenhuma decisão de fundo sobre a organização de toda a cultura portuguesa - que é a responsabilidade que se lhe atribui".


quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Somos Gregos





"Em 2013, a Grécia entra no seu sexto ano de recessão consecutivo. Durante estes últimos cinco anos de contracção económica, o país viu o seu Produto Interno Bruto (PIB) reduzir-se em cerca de 20% e o desemprego no país a aumentar para o nível recorde de 25%.

Obrigado por se lembrarem de nós


terça-feira, 6 de novembro de 2012

Perdidos




Não é preciso ser superiormente dotado para perceber que o segundo resgate vem já a caminho. Seguro parece ter percebido que Passos Coelho o queria atrair para a cilada da destruição do Estado Social com o corte de 4 mil milhões de euros na despesa, e que caso embarcasse nesse jogo perigoso não restaria pedra sobre pedra do PS. Não há  negociação possível com um  governo extremista, incapaz e servil  que levou a cabo por sua conta e risco, custasse o que custasse uma política de terra queimada  e que agora perante o descalabro  e a iminência do desastre, pretende fazer o abraço de urso ao Partido Socialista  sob a ameaça de um segundo resgate. Não sei porque carga de água o Partido Socialista  seria mais responsável pelo segundo resgate, do que o PSD e tutti quanti foram pelo primeiro. Cavaco desaparecido desde o 5 de Outubro, despertou de uma longa sonolência e chamou Seguro a Belém, presumivelmente numa tentativa de o amaciar em véspera da visita da senhora Merkel  A ver vamos, como diz o cego.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Um pobre de espírito




"Sim, Obama é um sujeito que se sentaria à direita do CDS. É por isso incompreensível o amor da esquerda portuguesa pelo actual Presidente da União. O homem representa a negação do nosso progressismo. Então, de onde vem o amor? Ora, é cool apoiar um negro. Além disso, é preciso apoiar o pretinho, caso contrário ainda vão pensar que somos racistas, não é verdade?"

O autor desta poia incompreensível, racista e de mau gosto dá pelo nome de Henrique Raposo, assina no Expresso uma coluna que eu há muito deixei de ler pela razão simples de que gosta de dar de si próprio uma imagem de enfant terrible da direita portuguesa, quando não passa  de um triste com dificuldade de se relacionar com as suas próprias origens.  Acontece que desta vez tropecei no título "O Pretinho Salazarista", a curiosidade foi mais forte e entre o riso e a indignação interroguei-me se valerá a pena comprar o Expresso e continuar a alimentar alimárias deste calibre.




domingo, 4 de novembro de 2012

O que já não se aguenta...




"O BPI e o Santander/Totta apresentaram contas. Até setembro, o BPI lucrou €117 milhões (mais 15% do que em 2011) e o Santander/Totta mais de € 230 milhões, quase quadruplicando os resultados do mesmo período do ano passo. Haja crise ou não haja, a banca ganha sempre e muito, embora a economia definhe com o crédito impossível. 

Talvez entusiasmado com as perspectivas oferecidas pela austeridade, Fernando Ulrich, presidente do BPI, responde à pergunta "o pais aguenta mais austeridade"" com um decidido "ai aguenta, aguenta!" E observa que os gregos ainda "estão vivos". 
É bom saber que os bancos oferecem lucros chorudos aos accionistas e os correspondentes prémios aos esforçados gestores.  E é bom saber que há gestores como Fernando Ulrich, com essa sensibilidade e elegância para com os portugueses, muitos deles seus clientes, que ainda estão vivos."

Fernando Madrinha, "Ai aguenta, aguenta", no Expresso


quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Em Dia de Todos os Santos...


Foi anunciado na TVI por quem está no inside job, e no business as usual deste desgraçado país. E para isso pretendiam a colaboração do Partido Socialista. Mais valeria a Seguro vender em hasta pública o Largo do Rato, não restaria pedra sobre pedra... Esta gente tem de ser corrida já!

"Poema pouco original do medo"


O medo vai ter tudo
pernas

ambulâncias
e o luxo blindado
de alguns automóveis
Vai ter olhos onde ninguém o veja
mãozinhas cautelosas
enredos quase inocentes
ouvidos não só nas paredes
mas também no chão
no tecto
no murmúrio dos esgotos
e talvez até (cautela!)
ouvidos nos teus ouvidos.

O medo vai ter tudo
fantasmas na ópera
sessões contínuas de espiritismo
milagres
cortejos
frases corajosas
meninas exemplares
seguras casas de penhor
maliciosas casas de passe
conferências várias
congressos muitos
ótimos empregos
poemas originais
e poemas como este
projetos altamente porcos
heróis
(o medo vai ter heróis!)
costureiras reais e irreais
operários
(assim assim)
escriturários
(muitos)
intelectuais
(o que se sabe)
a tua voz talvez
talvez a minha
com a certeza a deles.

Vai ter capitais
países
suspeitas como toda a gente
muitíssimos amigos
beijos
namorados esverdeados
amantes silenciosos
ardentes
e angustiados.

Ah o medo vai ter tudo
tudo
(Penso no que o medo vai ter
e tenho medo
que é justamente
o que o medo quer).

O medo vai ter tudo
quase tudo
e cada um por seu caminho
havemos todos de chegar
quase todos
a ratos.

Alexandre O'Neill



a propósito disto