segunda-feira, 31 de outubro de 2011

...pero que las hay, las hay


Ao entrar no Google dei-me conta que hoje é o dia das bruxas. Não me parece que seja coisa de festejar, a verdade é que de ora em diante,  dia das bruxas serão todos os dias do ano, de tal forma o país ficará irreconhecivel  depois desta gente ter dado o trabalho por concluído.

Tarde piaste...


"O Governo tem PLANO MACABRO de liquidação do país".

O PEC IV era mau, não era?

Pois!

Cá vamos cantando e rindo...

domingo, 30 de outubro de 2011

O que mais irá nos acontecer....


A incompetência perversa saiu à rua, esta gente não faz a mínima ideia do que anda a fazer, funcionam com a ligeireza dos jogadores do monopólio. Transportes públicos só até às 21:00 horas?

sábado, 29 de outubro de 2011

Primeira Plateia (34)



Tendo por companhia a inesgotável e superlativa Nina Simone, desejo a todos um excelente fim de semana.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Motivo torpe

Acabei de ouvir  que Duarte Lima está formalmente acusado no Brasil pela morte de Rosalina Ribeiro. A acusação afirma que Duarte Lima é capaz de matar quem não satisfaz os seus desejos. Quando aqui  me referi ao assunto, não me passava pela cabeça que o nível de envolvimento fosse deste calibre. Pensei que em vista dos muitos milhões envolvidos na novela da herança de Tomé Feitieira, Duarte Lima com alguns rabos de palha, tivesse tratado de tirar partido da situação e que às tantas se tivesse atravessado involuntariamente num crime perpetrado por outros.
Recordo os tempos dele como deputado  e líder parlamentar do PSD , da sua ascensão política e social, e  de sempre me ter provocado uma sensação de desconforto o seu olhar voraz, ávido e de grande frieza. Mas capaz de matar?

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

... o impensável ?



"Está na altura de nos prepararmos para o impensável: aumentam agora as probabilidades de o euro não sobreviver tal como está. 
(...)
"O simples motivo pelo qual não pode existir uma solução técnica rápida é, no fundo, política. Os países com notação AAA deixaram bem claro que estão dispostos a suportar o sistema, mas só até certo ponto. E eis que já passaram há muito esse ponto. Se a Alemanha continuasse a rejeitar um aumento das suas próprias obrigações, da monetização da dívida através do Banco Central Europeu e das ‘eurobonds', a crise acabaria logicamente por provocar uma cisão. Não há forma de os Estados-membros da periferia da zona euro poderem servir de forma sustentável as suas dívidas privadas e públicas e ajustarem as suas economias ao mesmo tempo."

Wolfgang Münchau, Editor associado do "Financial Times"

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

"Há petróleo no beato"



"Na próxima semana" é que vai ser. Nós aqui angustiados com a crise e vai-se a ver há um verdadeiro el dorado ao virar da esquina, são imensas  as riquezas por explorar. Ele é o ferro em Moncorvo, ouro no Alentejo, ele é o gás,... ah ganda Álvaro isto ainda vai ser um imenso Portugal....

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Mistérios do organismo...


"a investigação irá garantir que o auxílio concedido ao banco se limite "ao mínimo estritamente necessário, no interesse da concorrência leal e dos contribuintes portugueses".

Eh pá será que lhes cheirou a esturro ? estará esta démarche relacionada com o "atraso" nas negociações do banco que foi vendido através de uma apresentação de power point?

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

é mais fácil um camelo entrar pelo buraco de uma agulha...

Contra factos não há argumentos. De resto nem na defunta União Soviética me lembro de ter visto mulheres em lugares de poder efectivo, fora a Tereshkova que foi escolhida para compor o ramalhete,  maila a cadela Laika...

domingo, 23 de outubro de 2011

Todos por um


A manhã está tão triste
que os poetas românticos de Lisboa
morreram todos com certeza

Santos
Mártires
e Heróis

Que mau tempo estará a fazer no Porto?
Manhã triste, pela certa.

Oxalá que os poetas românticos do Porto
sejam compreensivos a pontos de deixarem
uma nesgazinha de cemitério florido
que é para os poetas românticos de Lisboa não terem de
recorrer à vala comum.


Mário Cesariny, 
retirado daqui

Há domingos assim...



Um resto de bom fim de semana.

sábado, 22 de outubro de 2011

Porque hoje é sábado



Em linha com os tempos que correm, aqui fica esta magnifica interpretação de Alberta Hunter. Desejo a todos um excelente fim de semana.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

O problema....


«Ou o ministro da Economia ganha peso político rapidamente ou este Governo tem um problema».

 e o ti Portas tão calado....

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Filmes série B....



“À volta dos 200, 250 quilómetros por hora também é alta velocidade e, em termos europeus é totalmente satisfatório”, disse Kallas, numa conferência de imprensa em que apresentou a parte relativa aos transportes do plano Interligar a Europa”


Isto quase que daria uma novela de série B se o actores fossem minimamente convincentes…

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

... é fazer as contas...


(....)
"Um governante da zona euro ficou particularmente aborrecido com as críticas que fiz às políticas europeias no passado e recordou-me que os programas em questão foram pensados por alguns dos peritos mais qualificados dos estados membros, Comissão, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI).
Seriam, em minha opinião, atrasados mentais? Não usaria tal termo, mas das duas, uma: ou são mal informados ou estão a mentir. Custa-me a crer que pessoas com uma experiência sólida em macroeconomia e o mínimo sentido de honestidade defendam a ideia de uma contracção orçamental expansionista ou - menos grave, apesar de tudo - considerem que programas de austeridade coordenados não vão afectar o crescimento no curto prazo.

Jaime Guajardo, Daniel Leigh e Andrea Pescatori*, economistas do FMI, divulgaram recentemente novas provas empíricas sobre as contracções orçamentais expansionistas, com base num amplo leque de dados dos países da OCDE. Os resultados do seu estudo deitam aquela teoria por terra. Os dados mostram que, em média, uma consolidação orçamental de 1% do PIB reduz em média o consumo privado real em 0,75% no espaço de dois anos, provocando uma queda no PIB real na ordem de 0,62%. Um país pode ter razões para impor medidas de austeridade, mas não pode iludir-se e pensar que não terão impacto macroeconómico."
(...)
Wolfgang Münchau, Editor associado do "Financial Times
 
Como dizia o velho Gueterres, é fazer as contas...
 


Só contaram pra você....



"Pensões vitalícias de antigos políticos poupadas à austeridade"? bem essa não acredito, tenham paciência, pode lá ser....

clique na imagem....

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Cantas bem...mas estás rouco


(In)coerências ou talvez não...

"Promover as exportações e os negócios que ficaram pelo caminho são os objectivos do Governo."

O título da notícia não poderia ser mais explícito. Parece que deixou de ser crime de lesa majestade fazer negócios com a Venezuela. Ainda se lembram das alarvidades que foram ditas pelos nossos liberais de meia tijela pelo facto de Sócrates ter estreitado e incrementado os negócios com  Hugo Chaves? Pois é, como dizia o outro, munta falta de memória na vida política portuguesa...

Solilóquios (41)

Carlos Carvalhas no Prós e Contras chamou os bois pelos nomes. Cavaco aka conselheiro Acácio e seus muchacos  do BPN, BPP, as grandes parcerias público-privadas and so on. Faltou acrescentar a dívida oculta da Madeira e os submarinos. A malta que por aí anda em histerismo de carcereiros de meia tigela, toca a chamar a polícia para os prender, andem...

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A pobreza

 
"Pobres à beira mar" 1903, Pablo Picasso

"Já somos a  Grécia
(...)
O primeiro-ministro justificou os cortes bem além do memorando da troika com base num conjunto de surpresas que terá encontrado. Nenhum dos documentos de execução orçamental conhecidos dá cobertura às afirmações  de Passos Coelho. O único desvio conhecido resulta da Madeira, do BPN e da degradação da receita fiscal, fruto da austeridade adicional. Até prova em contrário, o elemento de surpresa é o conjunto de mitos em que assentou a campanha eleitoral do PSD. Recuperar as justificações de Passos Coelho para chumbar o PEC 4 é penoso e fragiliza hoje a capacidade política do primeiro-ministro. Da austeridade que era excessiva passámos como por arte mágica, para uma austeridade necessária. Para quem se alcandorou na verdade, estamos falados.
(...)
A receita que nos é oferecida é um caminho para o desastre. Não é possível vislumbrar nenhum círculo virtuoso nesta solução: as receitas do Estado só poderão retrair-se, o défice e a dívida tenderão a crescer em percentagem do PIB, a economia colapsará e as famílias ficarão mais pobres, com o desemprego a disparar para valores que não encontram paralelo na sociedade portuguesa das últimas décadas."

Pedro Adão e Silva, no Expresso

domingo, 16 de outubro de 2011

sábado, 15 de outubro de 2011

"agora sei que não sou apenas eu”


Hoje fui à manifestação. Depois do confisco arbitrário dos subsídios de férias e Natal  durante os próximos dois anos,  estava à espera  encontrar um mar de indignados funcionários públicos, o que não aconteceu, talvez por terem ficado paralisados com a ressaca da brutalidade das medidas de que foram alvo e a fazer contas à vida. Mas gostei imenso do desfile, sentia-se no ar uma indignação serena e firme  prenuncio de uma  maré que vai encher e de um movimento que levará certamente a maiores manifestações no futuro.

A entrevista que  Saskia Sassen  deu ao Público, é muito esclarecedora sobre a dimensão e natureza da mudança que está em marcha.

A esperança não é uma fantasia...



"Não sei se não estaremos a caminhar para o apocalypse now da Grécia! "..

Imprescindível.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Indignação



"Esta movimentação verdadeiramente original e espontânea é precisamente a resposta encontrada por pessoas simples à apropriação e manipulação da democracia. E é assim um movimento muito mais profundo que qualquer reclamação social, sindical ou corporativa. A democracia criada e alimentada pelos homens está a esvair-se pelo esgoto da ganância, da exploração e da acumulação. O mundo vive já uma época pós-democrática, na qual a democracia formal se transformou num instrumento dos interesses das oligarquias. Não há alternativa, nem saída: o partido-cara é igual ao partido-coroa e ambos servem os mesmos senhores.
As concentrações de indignados são apenas um sinal dos tempos. Não é por ali que o mundo vai mudar, retomando os valores da liberdade e justiça. Mas pode ser por ali que alguma coisa nova comece."

João Paulo Guerra, ler texto integral

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Acordai!



Isto é assustador. Foi para isto que o PSD provocou eleições com o chumbo do PEC IV?

Bezerros de ouro...


A igreja está pronta a deixar cair este bezerro de ouro. Como sabemos, a proposta já esteve em cima da mesa mas, como tudo o que vinha da bancada de apoio ao anticristo,  ficou pelo caminho. A igreja vendeu caro o seu peixe como é costume quando tem pela frente um governo de cor mais rosada e a restante moirama que agora vai acenar com a cabeça para cima e para baixo em sinal de assentimento grave, há um ano fizeram-se de mortos. Se bem me lembro esta proposta já vem do tempo do falecido  primeiro governo de Guterres, tem mais de dez anos. Mais um triste exemplo da dificuldade que existe neste desgraçado país em alterar qualquer status quo por mais elementar que seja, sem que as forças vivas da nação não se ponham logo numa histeria de lesa pátria. Entretanto chega a troika e já não se ouve um pio...

Como bem disse O'Neill:
...
"rocim engraxado,
feira cabisbaixa,
meu remorso, meu remorso de todos nós...'

15 de Outubro


Lá estaremos  - unidos por uma mudança global.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Cálice amargo



Ironia do destino, será a oposição à esquerda a oferecer o remédio para o ataque de coração de Passos Coelho.  Uma elegância  esta Radicova.

A vaca sagrada


Finalmente a vaca sagrada de Catroga, Passos  e tutti quanti, mais conhecida por  descida da TSU, perde fulgor e empalidece...


Imagem tirada daqui

Ora bolas...

..."estava a masturbar-se cerca das 11.40, enquanto circulava numa escada rolante atrás de uma mulher..."

O exemplo de Diógenes de Sinope  à solta no metro do Porto...



terça-feira, 11 de outubro de 2011

Solilóquios (40)

Tranquilamente conseguimos o impossível, não ser apurados. Uma exibição de meter nojo aos cães...

"No hard feelings"


Que tal meter o Álvaro  no avião de regresso a  Vancouver? A coisa está a tornar-se caricata...

Bye bye Madeira

Com este tipo de políticos em modo beduíno não é de admirar que Jardim esteja de pedra e cal e os partidos "regionais" a crescer.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

"Reinvenção" da miséria...

... ou a conversa da treta de "reganhar a confiança dos mercados". Preparemo-nos para pagar a colossal ocultação da dívida da Madeira, e a impreparação e desnorte colossais deste governo para relançar a economia.

domingo, 9 de outubro de 2011

Ao ataque meus piratas


Depois de ouvir a declaração de guerra que Alberto João Jardim acaba de fazer ao "contenente", a afirmação de que o seu único partido é a Madeira,  de que não tem quaisquer outras fidelidades que não seja a Madeira e num momento alucinado denunciar o "poder socialista" dos ministros Vitor Gaspar e Paula Teixeira da Cruz  sublinhado pelo tom de desafio dirigido ao governo da República, fico de tocaia à espera da resposta do Primeiro-Ministro de Portugal.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A bitola...


Ele aí vem rebatizado de "alta prestação de bitola europeia". Esperemos que esta novela tenha chegado ao fim, que já ninguém aguenta tanto malabarismo sobre carris.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Indigestões...


Já lá vão mais de vinte anos, era o mês de setembro no final dos anos oitenta,  fui convidada para dois casamentos de duas amigas que se realizavam em fins de semana seguidos. Isto colocava-me o problema da fatiota. O que iria vestir em dois casamentos em que uma boa parte dos convidados era a mesma. Claro que não me passava pela cabeça usar a mesma roupa nas duas ocasiões, pobreta sim  mas alegreta sempre.  Então resolvi ir ao Porto aos saldos, bem mais variados e competitivos do que em Lisboa, sobretudo naquela altura em que ainda não existia a generalização de marcas e dos centros comerciais  e  em que a  diferença de  preço dos sapatos pagava a viagem.
Como também era costume antes de haver duas auto-estradas à escolha para se fazer o percurso de Lisboa ao Porto, paramos na Mealhada para almoçar leitão. Acontece que por razões até hoje desconhecidas, o leitão caiu-me mal.  Andei três dias agoniada para finalemente com as entranhas revolvidas,  conseguir vomitar os pedaços do bicho inteiro. Durante anos mal sentia o cheiro a leitão assado começava logo aos vomitos.

Tudo isto para poder explicar que fiquei com essa mesma sensação depois de ver aqui este gajo. Não, não me estou a referir ao Jardim.

O fiel jardineiro

 Salvador Dali, A girafa em chamas, 1935

Só nos faltava agora esta arenga do valet de chambre jardinista.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

5 de Outubro


Estou aqui que nem posso à espera do iminente discurso do Presidente sobre o estado da República...

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Os tumultos


E de repente não se fala noutra coisa. Até hoje ordeiras e pacatas apesar da crise já atingir violentamente pessoas e grupos sociais até agora insuspeitos de precariedade, não se percebe a fúria preventiva e a razão de comparações espúrias e provocatórias. A PSP  metida ao barulho, desvaloriza, o PCP  reclama e bem a inconstitucionalidade  destas medidas. Depois de ter ouvido o José Luis Arnaut na SIC N, com aquele  ar irritante de dirigente desportivo falhado, a querer marcar a diferença entre uma  manifestação ordeira e um tumulto, ainda não me tinha passado pela cabeça, mas acho que me vou começar a  preparar para regressar aos velhos tempos das barricadas do verão de 75...

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

O homem que sabia demais...


À atenção do homem que "falou demais". Ficamos à espera que o energético Relvas venha novamente por ordem no beco.

Surfando

Uma boa notícia para começar a semana: Portugal ganha pela quarta vez,  o título europeu colectivo de surf,  na Irlanda.  Numa altura em que tanto se fala no Mar, seria bom apostar fortemente numa modalidade onde Portugal possui excelentes condições naturais.

Ora, como salienta Nicolau Santos  no Expresso, "o Dia do Mar , que decorreu a 29 de setembro, passou quase despercebido, com exceção da conferencia realizada pela Escola Nautica Infante D. Henrique", cujas conclusões vale a pena lembrar:
- "a potencialidade das actividades à volta do ar são enormes;  o nome de Portugal é reconhecido internacionalmente pela sua ligação marítima;  há ideias muito interessantes para explorar este cluster".

O problema é o do costume por estas bandas: faltam investidores privados no sector.

domingo, 2 de outubro de 2011

Elementar...


"Para que serve um telejornal numa privada? Não é para informar. Serve para fixar o espectador ao prime-time e para marcar a agenda política"

António Pedro Vasconcelos , na Revista Única


A propósito,  alguém reparou na miserável cobertura televisiva, [ou a falta dela] das manifs deste sábado? E lembram-se da cobertura em directo das manifs  no tempo do lobo mau com o mesmo nome do filósofo? Poizé!!!

sábado, 1 de outubro de 2011

Porque hoje é sábado



Com a perspectiva de tempo quente neste início de Outono, desejo a todos um excelente fim de semana.