segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Trump à portuguesa



Pedro Passos Coelho desconexo, populista e demagogo, foi para o Pontal fazer um lamentável discurso politico.

Confirma-se que a manutenção do apoio à candidatura de  André Ventura, em Loures, não foi uma exceção, mas será a regra da nova linha estratégica que Passos Coelho irá imprimir ao PSD, a âncora que o segurará ao leme de um navio encalhado. Maltratando como de costume a língua portuguesa, esquecendo os cinco milhões de portugueses emigrados pelos cinco continentes, lançou o veneno sibilino a propósito da nova lei da nacionalidade "o quê que vai acontecer ao país seguro que temos tido se se mantiver esta possibilidade de qualquer um viver em Portugal?". 
 
Esgotados os temas da austeridade, fracassados todos os cenários apocalípticos que prognosticou para a economia portuguesa, Passos definiu o seu caminho dando o mote  que enformará a linha politica futura do PSD sob a sua liderança.
Estava escrito nas estrelas que a trumpização do PSD chegaria pela mão de Passos Coelho. Depois do pontal, já é oficial.

Sem comentários:

Enviar um comentário