quarta-feira, 8 de maio de 2013

A mistificação


Não percebo patavina de emissões de dívida, de "ir aos mercados", e de toda a abundante parafernália terminológica que rodeia as questões financeiras. Mas considero-me uma pessoa de bom senso. Ontém assistiu-se a uma inexplicável coreografia nos média em que toda a gente fez de conta de acreditou que a "ída aos mercados" colocar dívida a 10 anos foi um grande sucesso. Mas toda a gente  mesmo, com a honrosa excepção dos sectores mais radicais da esquerda. Mas onde diabo está o sucesso de uma emissão sindicada, com um juro que corresponde quase ao dobro praticado pela troika nos seus emprestimos a Portugal? Onde é que uma taxa de 5,7% se pode considerar um sucesso, quando Portugal colocava dívida no mercado, sem o apoio do BCE antes do resgate, a 6%? Mas isto está tudo doido?

8 comentários:

  1. Respostas
    1. E não há quem lhes dê uma valente coça...!!!

      Eliminar
  2. Tudo tudo, não está. Eu diria que já estiveram mais... Leu o que diz Silva Lopes, hoje no DN?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não li Rogério, não consigo ter tempo para tudo, importa-se de me deixar o link? Obrigada.

      Eliminar
  3. Querida Ariel,
    é que a coisa bateu tão baixo que já deliram com o retorno de uns pozinhos de confiança. Claro está que fazer festa por tão pouco configura um claro abuso da dita.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não questiono que há bem pouco tempo, nem com estes juros colocariamos dívida a 10 anos, mas fazer uma encenação destas é tratar-nos a todos como atrasados mentais. É deprimente.

      Beijinho

      Eliminar
  4. Para os ditos mercados foi um sucesso, pois não é todos os dias que se empresta dinheiro a 10 anos com quase 6% de juro! Para nós, que vamos pagar, não passou de mais um roubo.
    Beijinho

    ResponderEliminar